Fisiatria é especialidade médica clínica que atua na prevenção, no diagnóstico e no tratamento das incapacidades relacionadas a doença ou lesão. O campo de atuação do médico fisiatra nas doenças da coluna está comumente relacionado à dor crônica, limitação de movimento, sequelas neurológicas como paralisia cerebral, acidente vascular cerebral ou lesão medular associadas a deficiências físicas.

As lesões e as doenças da coluna vertebral podem causar incapacidades de forma súbita como nos acidentes e nas compressões neurológicas por hérnia de disco, mas também de forma lenta e progressiva, como nas dores musculares, artrose e alterações posturais. Elas devem ser diagnosticadas o mais precocemente possível para que a recuperação seja plena com nenhum ou mínimo impacto na saúde.

O tratamento fisiátrico pode envolver:

  • prescrição de medicações e terapias
  • infiltrações, bloqueios anestésicos, acupuntura
  • escolha, elaboração e ajustes de plano de exercícios
  • prescrição de aparelhos ortopédicos
  • ajustes ambientais para melhor desempenho da pessoa com incapacidade
  • integração com outros profissionais da saúde, como fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, para acompanhar a evolução de forma dinâmica e contínua.

A reabilitação não deve ser pensada como a etapa final de um tratamento, mas como um aliado na recuperação funcional e prevenção de incapacidades desde o início dos sintomas, durante consultas médicas ou em ambiente hospitalar.

 

O médico fisiatra é o clínico geral da pessoa com incapacidade física. A reabilitação é um processo que integra diversas áreas da saúde e tem como objetivo principal alcançar o maior grau de independência funcional da pessoa em suas atividades.

 

Bases da Reabilitação

  1. A avaliação global feita pela equipe médica e demais profissionais de saúde é uma ferramenta importante para a compreensão individualizada do impacto de uma doença ou lesão e para a elaboração personalizada do tratamento. Através da avaliação clínica e funcional se faz o diagnóstico das incapacidades presentes, das necessidades de curto e longo prazo, e das capacidades preservadas para a elaboração do plano de reabilitação.
  2. A reabilitação física quando inserida de forma precoce no plano de tratamento potencializa as capacidades funcionais visando alcançar o máximo de independência funcional, seja em casa, no trabalho, na prática esportiva ou nos momentos de lazer, e contribui para a prevenção de lesões secundárias.
  3. Porém, todo o processo de recuperação e melhora da saúde depende da participação ativa do paciente! Além das orientações dadas em consultas e das sessões de reabilitação, a aplicação prática diária do plano de tratamento se faz necessária para a promoção da saúde e recuperação funcional.

 

A reabilitação deve ser um processo precoce, global, intensivo e ativo! Nas doenças da coluna, as etapas da reabilitação visam o alívio da dor, recuperação das capacidades físicas, adaptações para as atividades da vida diária e melhora da consciência corporal.

 

 Reabilitação e Qualidade de Vida

 

A presença de um problema de coluna não deve interromper os cuidados gerais com a saúde pelo risco de gerar danos em outros sistemas orgânicos ou atingir um nível de recuperação aquém do esperado. Como exemplo, citamos a tendência de as pessoas pararem de praticar atividades físicas e exercícios por medo de sentir dor ou agravar o problema inicial. Além de perda muscular há prejuízo no condicionamento cardiopulmonar, aparecimento de fadiga, alteração de ritmo biológico que resultam no aumento do tempo e do grau de incapacidade.

As incapacidades físicas podem ser temporárias ou permanentes e interferem na qualidade de vida individual e familiar em diferentes graus. Para a pessoa com problema de coluna é importante se adaptar a essa condição através de ajustes nos hábitos de vida e na forma de executar tarefas.

Na consulta fisiátrica também são abordados aspectos como a escolha de exercícios, identificação de restrições, cuidados para o uso de adaptações ortopédicas (cadeira de rodas, muletas, bengala, andadores, órteses, próteses), adaptações domiciliares e profissionais.

A fisiatria engloba, além dos aspectos de movimento corporal, questões mais abrangentes como, por exemplo, a sexualidade em pacientes com lesão da medula espinhal, impacto sócio-econômico de uma incapacidade, fatores psicológicos e emocionais no enfrentamento da dor crônica e barreiras sociais enfrentadas pela pessoa com alguma deficiência.

A experiência de vida do paciente é ponto fundamental na relação entre saúde, doença e incapacidade nessa jornada pela busca de melhor qualidade de vida.

 

Dr. Gilbert Bang

Médico Fisiatra pela Santa Casa de São Paulo e Hospital Israelita Albert Einstein

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.