metástase coluna

Os tumores malignos mais comuns na coluna vertebral são metástases, que são lesões provenientes de um câncer distante que migrou para a coluna através do sangue. Considerando todos pacientes com os mais diversos tipos de câncer, cerca de 5 a 10% desenvolvem metástases em coluna. Desses, apenas 10% apresentam sintomas.


Os tumores primários que mais frequentemente geram metástases na coluna são câncer de próstata, mama e pulmão. Isto ocorre devido à drenagem sanguínea venosa através do Plexo de Batson, que constitui uma rede de veias sem válvulas que conecta vasos pélvicos profundos e as veias torácicas (drenando parte inferior da bexiga, as mamas e a próstata) aos plexos venosos vertebrais internos.

desenho plexo basto coluna

Imagem do plexo venoso de Batson.

Sintomas mais comuns de metástases na coluna:

  • Assintomático (ausência de sintomas);
  • Dor local;
  • Sintomas radiculares (dor que irradia para braços ou pernas);
  • Alterações neurológicas (formigamento, alteração sensitiva ou fraqueza muscular);
  • Instabilidade mecânica da coluna;
  • Deformidade da coluna.
metástase na coluna

Exemplo de metástase na coluna provocando compressão medular.

A avaliação clínica de tumores metastáticos em coluna inclui todo um time multidisciplinar constituído por oncologista clínico, rádio-oncologista (radioterapeuta) e pelo médico especialista em coluna.  Realiza-se análise do histórico do paciente e exame físico. Após isso, solicitam-se exames de imagem, exames laboratoriais e biópsia (quando indicada).

A modalidade de tratamento a ser empregada depende dos sintomas apresentados, da região acometida, do estado de desempenho do paciente e do tipo de tumor.

VEJA TAMBÉM:

Tratamento

Pacientes com metástases na coluna possuem doença sistêmica, ou seja, teoricamente há outras células tumorais circulando pelo corpo. Dessa forma, é fundamental que seja realizado tratamento sistêmico, com uso de drogas (quimioterapia, imunoterapia, anticorpos monoclonais, bisfosfonatos, hormonioterapia e radionuclídeos) que possam agir em todo organismo.

O tratamento local da lesão metastática pode e deve ser realizado em algumas situações, após conversa multidisciplinar (profissionais de diferentes especialidades) e individualização do caso do paciente.

As principais razões para tratamento local de metástases na coluna são:

  • Dor;
  • Compressão medular/ radicular;
  • Oligometástases presumidas;
  • Consolidação da resposta ao tratamento sistêmico;
  • Risco de fraturas;
  • Efeito abscopal (estimulação e aumento da resposta imune por meio de técnicas ablativas).

Modalidades de Tratamento

Radioterapia

Radioterapia é tratamento no qual são utilizadas radiações ionizantes (Raios X, Raios Gama, Prótons, Elétrons) direcionadas à vertebra, a fim de promover morte tumoral. O tratamento é fracionado entre uma a 20 sessões. Para tumores de coluna, a técnica mais utilizada é a teleterapia. Nela, são utilizados feixes de radiação a partir de uma fonte radioativa externa ao paciente. Teleterapia pode ser empregada isoladamente ou após a cirurgia, sendo de suma importância discussão multidisciplinar no processo decisório terapêutico destes pacientes.

Radioterapia é tratamento no qual são utilizadas radiações ionizantes direcionadas à vertebra, a fim de promover morte tumoral.


Diversas tecnologias podem ser empregadas:

  • Radioterapia convencional 2D: a radioterapia 2D é técnica mais antiga, na qual o planejamento do tratamento é realizado através de imagens biplanares, como radiografias ou portais, baseado nas estruturas ósseas. Nesta técnica não é possível estimar com acurácia a distribuição de dose nos tecidos, nem saber a quantidade de radiação que os tecidos normais estão absorvendo.

  • Radioterapia formatada (ou conformada) tridimensional (RT3D): nessa técnica, é realizada tomografia computadorizada especial do paciente com reconstrução tridimensional em sistema de computador. Nesse sistema, o médico rádio-oncologista define as regiões a serem tratadas e as regiões corporais a serem protegidas. Após definição dos feixes de radiação, pode-se avaliar de maneira adequada como está distribuída dose de radiação. 

  • Radioterapia por modulação do feixe (IMRT): consiste no aperfeiçoamento da técnica tridimensional, na qual cada feixe de radiação é dividido em subcampos menores e cada um deles é modulado de maneira diferente, deixando passar mais ou menos radiação, através de cálculos realizados pelo computador.

  • Radioterapia por arcoterapia volumétrica modulada (VMAT): técnica na qual a radiação é administrada enquanto o aparelho de radioterapia gira em torno do paciente, ao mesmo tempo em que deixa passar mais ou menos radiação, alcançando resultados semelhantes ao IMRT sendo, porém, realizado de uma maneira mais rápida.

  • Radioterapia guiada por Imagem (IGRT): diferente da RT3D, da IMRT e da VMAT, que são maneiras de se distribuir a dose de radiação, a IGRT é uma técnica que assegura que o posicionamento do paciente é exatamente o mesmo da tomografia de pré-simulação. A vantagem dessa técnica é permitir maior certeza que a dose de radiação planejada está sendo administrada no local ideal. Desta maneira, o médico rádio-oncologista pode diminuir as margens de incerteza ao redor do alvo, levando a menor irradiação de tecidos sadios, com menor chance de toxicidade decorrente do tratamento.

A combinação das técnicas  mais modernas de radioterapia como RT3D/ IMRT/ VMAT com IGRT permite que altas doses de radiação sejam administradas em poucas sessões de radioterapia. Essa técnica se denomina Radioterapia Estereotática Ablativa (Stereotactic Ablative Radiotherapy- SAbR) ou Radioterapia Estereotática Corpórea (Stereotactic Body Radiation Therapy- SBRT), que oferece altas taxas de controle da doença tratada.

radioterapia da coluna

Distribuição de dose de radiação em vértebra acometida por metástase

 

Vertebroplastia / Cifoplastia Percutânea

São procedimentos minimamente invasivos para injeção de cimento cirúrgico no interior da vértebra fraturada. Ambos são guiados por fluoroscopia (filme de RX) ou tomografia computadorizada. A diferença entre eles é que na cifoplastia são insulflados pequenos balões no interior do corpo vertebral, a fim de restaurar altura vertebral. Outra vantagem da cifoplastia é a possibilidade de injeção de cimento cirúrgico sob menor pressão na cavidade previamente criada pelo balão, minimizando risco de extravasamento indesejado de cimento.

cifoplastiav

Injeção percutânea de cimento ósseo na coluna (vertebroplastia / cifoplastia)


Cirurgia

Diversos tipos de cirurgia podem ser realizadas em metástases na coluna, a depender de cada caso específico. As técnicas mais utilizadas são laminectomia (muito utilizada para descompressão da medula), ressecção/ descompressão circunferencial e até mesmo vertebrectomia (retirada da vértebra acometida). Além disso, quando há instabilidade mecânica, associa-se artrodese (fusão) da coluna, com finalidade de promover estabilidade. Nessa situação, utilizam-se parafusos metálicos ligados por hastes longitudinais. Muitas vezes também, para melhor controle local após a cirurgia, pode ser necessária a adição de radioterapia. 

Laminectomia (retirada da lâmina) lombar.



Parafusos pediculares.

 

RX tumor na coluna

Radiografias pós operatórias de laminectomia e artrodese por metástase na coluna (tumor de tireóide).

 

 

Autores:

Dr. Icaro Thiago de Carvalho

Médico Rádio-Oncologista do Hospital Israelita Albert Einstein

Dr. Alberto Gotfryd

Médico ortopedista especialista em coluna. Mestre, Doutor e Pós Doutor em Medicina.

 

 

64 respostas
  1. Alessandra Albuquerque
    Alessandra Albuquerque says:

    Olá Dr. Boa tarde!
    Minha mãe foi diagnosticada com câncer de mama metastático e está com tumores ósseos nas regiões T7, T8 e T9, além do tratamento para o tumor primário , o oncologista ortopédico recomendou a radioterapia nos locais e disse que teria uma boa melhora, minha mãe terminou as sessões a poucos dias e até agora não obteve melhora alguma nas dores.

    Responder
  2. Eliete
    Eliete says:

    Como posso entrar em contato melhor com o Senhor? Onde atende frequentemente? Estou desesperada. Meu pai tem tumores na coluna a Rádio nao está sanando as dores. Me ajude por favor.

    Responder
  3. Maurício Lisboa
    Maurício Lisboa says:

    Boa noite Dr. Minha esposa teve câncer de mama em 2015 e agora dia 21 ficamos sabendo que houve metástase na coluna. Ela está no Inca aqui do Rio de Janeiro. Será que eles estão aptos para esse tratamento? E o tempo de sobrevida? Estamos muito apavorados pois ele hoje fez 50 anos e acha que já acabou. O que posso passar de esperança para ela?

    Responder
    • Dr. Alberto Gotfryd
      Dr. Alberto Gotfryd says:

      Boa noite Maurício. Nos casos de tumores metastáticos deve haver estadiamento da lesão. Isso é feito por meio diversos de exames de imagem, questionários específicos e debate multidisciplinar entre oncologistas, radioterapeutas, clínicos e cirurgião de coluna. Há tratamento modernos atualmente que melhoraram muito a sobrevida nesses casos. Sua esposa está em centro de referência, tenho certeza que ficará bem amparada.

      Responder
  4. Elisangela Matos
    Elisangela Matos says:

    Oi Dr. meu pai está com um tumor na coluna e em cima do pulmão direito. Ele já não anda e nem fez necessidades fisiológicas sozinho.
    Os médicos ia fazer descompressão da medula mas no dia da cirugia falaram q não era mais viável. Só indicaram usar o colete.
    Ainda não fizeram a biópsia.
    Com o tratamento oncológico. Qual a chance de sobrevida dele?

    Responder
  5. Marcio Brito
    Marcio Brito says:

    Minha mãe tem 73 anos. Teve um câncer de mama (fez a cirurgia e retirou uma das mamas). Agora foi diagnosticada com metástase óssea na coluna (lombar e torácica). Está fazendo radioterapia, químio (zometa) e hormonioterapia. Há probabilidade de cura?

    Responder
      • Marcio Brito
        Marcio Brito says:

        Obrigado pelo retorno Dr Gotfryd

        Estamos aflitos e com muitas dúvidas

        Minha mãe está fazendo o tiramento com radioterapia, zometa e anya anostrozol

        Esse tratamento apresenta eficácia no controle da doença?

        O que significa controle da doença? Significa estabilização e não evolução? Significa que a doença poderá não evoluir para algo mais grave que a leve a morte?

        Responder
  6. Kátia Ramos
    Kátia Ramos says:

    Olá Dr Alberto,
    Gostaria de uma orientação. Meu pai, que tem 93 anos foi diagnosticado com um câncer no pulmão e metástase na coluna , mais precisamente na T8. Ele sente dores fortíssimas. O oncologista dele , por sinal um médico muito bom , encaminhou meu pai para um tratamento paliativo através da radioterapia.
    Gostaria de saber qual o número mínimo de sessões que meu pai deve fazer?
    Obrigada pela atenção
    Katia

    Responder
  7. Gerlania
    Gerlania says:

    Oi bom dia doutor recentemente
    Fiz uma resonacia por sentir varia s dores na lombar então fiz resonancia e foi visto que tenho profusão discal l4 l5 , porém fora essa profusão foi visto pequena imagem nodular na l2 no laudo ele colocou podendo corresponder a um hemogioma , mais estou desesperada com medo de ser um câncer, já que ele não deu a certeza de que era um hemogioma
    0 tamanho e de 0.6 cm me ajude me de uma luz

    Responder
    • Dr. Alberto Gotfryd
      Dr. Alberto Gotfryd says:

      Boa tarde Gerlania. Hemangiomas são lesões comuns, sem gravidade, dado que não malignizam. Sugiro conversar com seu médico que poderá opinar com maiores detalhes sobre seu exames.

      Responder
      • Gerlania
        Gerlania says:

        Agradeço por me responder , mais ele apesar de ser um médico particular me deixou cheia de dividas , pq no resulta do da resonacia diz podendo corresponder e e esse podendo corresponder que está me atingindo , tenho medo pq ele não investigou mais nada e só disse que é um hemogioma , estou desesperada comedo de mais tarde set outra coisa por ele não ter investigaco

        Responder
  8. silvia
    silvia says:

    DR. Boa tarde minha mãe teve cancer de mama a 9 anos atras tirou uma partate do seio,e agora voltou na coluna com mestasise na colina ,T5,T6,T7,T8,T9,T10.T11, FRATURA NA T9,L2,L3,L4,L5 começou a fazer radioterapia e depois vai fazer quimio,nesse caso…o tratamento e para o resto da vida ele não tem cura.

    Responder
  9. Gerlania
    Gerlania says:

    Agradeço por me responder , mais ele apesar de ser um médico particular me deixou cheia de dividas , pq no resulta do da resonacia diz podendo corresponder e e esse podendo corresponder que está me atingindo , tenho medo pq ele não investigou mais nada e só disse que é um hemogioma , estou desesperada comedo de mais tarde set outra coisa por ele não ter investigaco, me ajude por favor estou muito depressiva por causa disso pq que no laudo diz só podendo corresponder, ai minha cabeça fica cheia se dúvidas e sofrimentos.

    Responder
  10. Daniela Dias
    Daniela Dias says:

    Dr. Meu pai foi diagnosticado com câncer no pâncreas. O tratamento estava dando resultado. Porém foi descoberto metástase na C 7 ele sente muita dor fez, cinco seções de radioterapia, porém a dor não ameniza. Ele vai viver com essa dor.

    Responder
  11. Rosa Maria Pereira Coelho
    Rosa Maria Pereira Coelho says:

    Boa tarde! Meu marido fez sessões de radioterapia para tratar uma recidiva de aumento de PSA, depois de 6 anos ter tido câncer da próstata e ter tirado tudo!
    No final dos tratamentos começou com muitas dores numa perna, pé, que chega a ficar dormente e zona lombar!
    Será apenas resultado da radioterapia?
    Só sabemos os resultados destas em Junho, pois o médico disse que os exames precisam ser feitos após algum tempo da radioterapia terminada!
    Já tem consulta para um Ortopedista cirurgião!
    Estou muito receosa!
    Grata pela atenção!
    Rosa Maria

    Responder
  12. Nathália Talon
    Nathália Talon says:

    Olá Dr, tenho câncer de ovário cm metástases no abdômen, cápsula do fígado e medula espinhal. Ultimamente ando cm muitas dores na coluna, a dor piora quando estou cm vontade de fazer xixi, as dores estão indo para as pernas as vzs e sinto dores nas mãos e choque nos pés.
    Vejo meu médico só em junho, mas tô agoniada com as dores.

    Responder
  13. ALEXSANDRA OLIVEIRA
    ALEXSANDRA OLIVEIRA says:

    Olá Dr. Alberto
    Meu pai tem 55 anos, descobrimos recentemente um câncer na próstata com metástase na coluna. O oncologista nos encaminhou para internamento imediato ao hospital público da minha cidade para descompressão da coluna, pois ele está com as pernas inchadas e com bastante dificuldade de defecar. Porém o que me preocupa é que se ela cirurgia pode mesmo ser realizada? Pois os médicos nao dizem nada. Tenho muito medo de que não possa ser feito. Eu saber se no caso dele essa cirurgia e possível?

    Responder
  14. Karol
    Karol says:

    Doutor, minha mãe teve câncer de mama em 2016, recentemente fez uma tomografia e no laudo diz presença de lesões osteoblásticas esparsas nosnos corpos vertebrais lombares, mais evidentes em L1, de prováveis origens mitóticas secundárias.
    Isso é metástase na coluna? Tem cura ou só tratamento paliativo?

    Responder
    • Dr. Alberto Gotfryd
      Dr. Alberto Gotfryd says:

      Olá Karol, é necessário aprofundar nas investigações e ser avaliada por time multidisciplinar (em centro especializado).

      Responder
  15. Sabrina De Almeida
    Sabrina De Almeida says:

    Olá Dr. Boa noite, minha fez uma tomografia de tórax abdome e pelve e apareceu que tem uma lesão osteolítica no corpo vertebral de T8 isso pode ser tumor ? Ou posso ter esperanças de ser algo menos preocupante ?

    Responder
  16. Alessandra de Oliveira de Barros
    Alessandra de Oliveira de Barros says:

    Boa Noite Dr
    Meu pai está com câncer de próstata fazendo tratamento a 1 ano. Está em metástase na parte lombar.Ele vem sentido fortes dores,está tendo dificuldade para andar.A oncologia dele passou 5 sessões de radioterapia. Hoje foi a primeira e ele sentiu uma dor mais forte que o normal. Devo me preocupar?

    Responder
  17. Claudio
    Claudio says:

    Doutor, boa tarde.

    O exame de centilografia ossea costuma dar falsos positivos?

    Minha mãe após a cirurgia de câncer de mama e identificaçãod e micro metastase no linfonodo sentinela foi encaminhada para a centilografia. No resultado apareceu “alta probabilidade de lesão ossea secundaria a neoplasia na vértebra L3”. Após o encaminhamento para o oncologista, ele pediu uma ressônancia magnetica para tirar dúvidas.

    Ela sente um pouco de dor nas costas, mas é uma dor que sente a varios anos, podemos ter a esperança de ser apenas uma lesão ou outra coisa no lugar de metastase ossea?

    Obrigado!

    Responder
    • Dr. Alberto Gotfryd
      Dr. Alberto Gotfryd says:

      Apos cintilografia suspeita, complementamos os exames com imagem específica do local, como ressonância ou tomografia. Na dúvida, fizemos biopsia da lesão.

      Responder
  18. Simone
    Simone says:

    Meu pai tem 76 anos,está sem andar a 2 meses achávamos que era problema da coluna,mas era metástase, fez uma cirurgia, colocou pinos retirou a parte do osso afetada com a massa…descomprimir…perdeu quase toda massa muscular…ele pode voltar a andar…depois fazendo fisioterapia…

    Responder
    • Dr. Alberto Gotfryd
      Dr. Alberto Gotfryd says:

      Simone, após a cirurgia de coluna vem a fase de reabilitação, com fisioterapia e muita força de vontade para voltar a andar.

      Responder
  19. Erica
    Erica says:

    Dr. Alberto estou com uma cunhada q está com metástase óssea L5 e S1 em decorrência da um Ca de útero que aparentemente tinha sido tratado com êxito, pois estava só fazendo revisão.bem como a massa aparentemente está causando trombose na veia iliaca … O oncologista pedi O para fazermos o petscan para avaliar a possibilidade da disseminação em outros sítios… Estamos desnorteados… Ela só tem 29 anos…. nesta situação o prognóstico é ruim?

    Responder
    • Dr. Alberto Gotfryd
      Dr. Alberto Gotfryd says:

      Boa noite Erica, não é possível que eu opine sobre prognóstico sem saber mais detalhes da doença. O oncologista poderá responder assim que os exames estiverem prontos.Boa sorte!

      Responder
  20. Jeane
    Jeane says:

    Minha mãe tem 80 anos. Recém curada de câncer na bexiga. Mas a cerca de alguns meses ele tem sentido dores na coluna e isso veio a impedi-la de andar. A perna direita está inchada , ela sofre com dores. Levei-a ao ortopedista e um exame de ressonancia foi realizado. O resultado foi uma metastase na coluna. Tem como minha mãe fazer tratamento?

    Responder
  21. Aline Fenner
    Aline Fenner says:

    Ressonância magnética da coluna lombar: Lesão expansiva e ovalada localizada no interior do saco dural em situação marginal direita, com cerca de 3cm, no nível do disco intervertebral L2-L3, que sofre realce intenso pelo meio de contraste, deslocando estruturas nervosas adjacene, pode ser câncer?

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.